MUSICA

MUSICA

sábado, 16 de julho de 2016

A FESTA QUE NÃO SE FEZ!...



E eu que até era feita
de desencontros
abri a porta
decidida a apostar
e busquei,
no baú das lembranças
um jeito novo
de te esperar
pintei de luzes
o escuro dos meus olhos
meu corpo, meu sorriso
meu baton
abri os braços
pra te receber
lavei as mágoas
do meu coração
teci carinhos
bordei mil sóis gigantes
nos meus cabelos
e emprestei calor
para vestir de brilho
uma data encantada
a festa que não se fez
onde tudo se repetiu
até mesmo o presente,
nada original:
tua ausência!!!

domingo, 9 de novembro de 2014

 
 
 
 
Adormeci a pensar em ti. E acordei com um desejo de voar... contigo.
Queria esquecer o mundo e encontrar-me na tranquilidade de quem se dá só porque sim. 
Só porque nem sempre é fácil decidir entre o querer e o dever. Só porque há desejos que pulsam em nós e não nos deixam descansar. Só porque nos sentimos perdidos e dizemos que não, quando só queríamos esquecer a vida e dizer que sim....deixando as horas e o mundo correrem devagar.
Queria ser livre contigo num qualquer lugar, sem pressa, sem medo. Deixar-me tentar, só porque tenho vontade de ti.
Queria que fôssemos capazes de viver e não apenas sonhar.
Chegar-me mais perto. Perder a vergonha e dizer-te sem pudor que te desejo... Agora!
Bea

domingo, 13 de julho de 2014


Dou comigo a agradecer todos os desastres por que passei, todo o sofrimento que me foi dado e fico sem saber a quem devo agradecer. 
Sem eles ainda era menos do que sou!!!



quarta-feira, 30 de outubro de 2013

QUERO UM AMOR....




Quero um amor...
Quero um amor por inteiro.
não desses que se repartem
que magoam,que invadem
que marcam presença,
causam danos e partem.
Quero um amor sincero.
que complete o que mais quero
que entenda de sentimentos
os mais puros e delicados
os mais simples e complicados.
Quero um amor diferente,
um amor eloquente,
que me arrebate a alma e me deixe calma,
e que sem preconceitos
sacie os anseios,viole os direitos.
Quero um amor alado
que esvoace ao meu lado,
que alcance meus pensamentos
que os transpasse, que me abrace
e sem alarde... me ame de verdade!



sábado, 18 de agosto de 2012



Disse ao vermelho... que o teu brilho era do sol
Falei à alegria... que o teu cheiro era das plantas.
Informei a transparência... que tu eras do mar.
Comuniquei a um anjo... que vinhas do céu.
Expliquei à paixão... que tu eras a minha vida!...

domingo, 10 de junho de 2012

5º ANO - ALÉM DE...

Desejei tudo o que sonhei Possui tudo o que nunca quis Abri mão do que conquistei Por nunca te poder ter aqui Sonhei para além da vontade Voei para lá da razão Perdi o rumo, mergulhei na saudade Deixei-me levar pela solidão. Estive onde nunca quis ir Fui além do meu limite Ultrapassei a própria vontade Regressei sem nunca partir Fui derrotada por esta constante saudade !!!

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

NESTA NOITE!....



Nesta noite sem estrelas ...

Guardei o luar em minhas mãos

E com as pontas dos dedos

Desenhei em tua face,

Flores de cristais.

Em teus lábios,

O sorriso da lua.

Em tua pele,

Borboletas prateadas.

Sobre teu corpo,

Desenhei um manto azul.

Nesta noite sem estrelas ...

Dei-te um pedacinho do céu!...

domingo, 18 de setembro de 2011

ILUSÕES!



Longa é a noite,
sem as tuas palavras tatuadas na minha alma
e a tua voz
escorrendo quente pela minha pele.
Mete-me medo
esta febre de te ter e de me dar.
Acho guloso o teu sorriso,
nuns lábios que adivinho exigentes
no frémito do desejo.

São minhas as palavras
não estudadas
não pensadas
não alinhavadas
num qualquer contexto.
Totalmente aleatórias
sentidas
vividas
e sofridas.
Mas é de um universo paralelo que se trata.
O meu comboio,
percorre uma linha
que passa tangencialmente pela tua,
sem nunca a encontrar.
As palavras só fizeram sentido
para mim.
Atingiram a tua superfície
como pedrada num lago.
Depois
a água continuou lisa e profunda,
negra e vazia de vida...como antes.

Eu sei.
É este meu defeito
de ser toda alvorada
aurora boreal
chama que se consome,
sem nunca se apagar.
Mas poderei alguma vez,
trocar-me e diluir-me
por uma felicidade incerta?
Certa ou incerta
pouco importa.
Este sobressalto que me corre nas veias
é apenas o meu código de vida,
o traço primitivo
que faz de mim quem sou!...

terça-feira, 14 de junho de 2011

10.JUNHO.2011 - 4º ANO - NÃO TE DISSE ADEUS!



Não sei se depois de ti ficou dor, tristeza, revolta, mágoa, vazio, memória, saudade ou um amor maior... não sei.
O que sei é que se passa um ano depois do outro, carregado de horas que se estendem e se dividem por minutos e segundos. E não há um dia que não lembre de ti. Um que seja...

Creio que depois de ti nada mais foi igual. Fazes-me falta, sabes?
Sinto-te a falta quando queria apenas que estivesses aqui. Quando sei que não estás.
Talvez por ti sinta todas as outras perdas como facas que se me espetam no peito e não me deixam respirar... que me deixam todas estas marcas, que cicatrizam devagar.
Perdi-te... e não queria perder mais ninguem.
Não que alguem substitua o teu amor, vê se me entendes, mas para me sentir amada. Alguem que gostasse de verdade de mim e permanecesse. Tu foste embora, todos vão embora... como se não me fosse permitido ter perto de mim alguem que eu ame...
Não sei se haverá uma forma certa de amar, a mim, parece-me que amo sempre da forma errada.
É que as pessoas partem mas os sentimentos continuam em mim, invioláveis, intocáveis...como este amor que tenho por ti. Que me faz chorar mas nunca me faz sentir que é em vão.

Perder-te foi perder uma parte de mim. Perder-te foi arrastar o sofrimento pela vida, mas tornar-me tambem numa pessoa melhor. Parece-te estranho?, por vezes a mim tambem.
Hoje posso ser mais frágil mas tambem muito mais corajosa. Afinal, perdi-te e segui viagem mesmo carregada de uma angustia que não larga o peito. Sobrevivi...significa que irei caminhar de cabeça erguida apesar de todas as outras perdas que possa sentir.
Mas apesar de tudo, hoje, sou capaz de amar de uma forma muito mais intensa. Talvez porque foi preciso que um alicerce desabasse na minha vida para entender que há coisas que não podem ser feitas nem ditas amanhã. Porque foi preciso perder-te para perceber que de repente tudo perde o sentido nesta vida tão fugaz. Que de nada vale guardar sentimentos, nem esconder a vontade de voar...
Num segundo, fica nada. E pior que isso, um nada que já não podemos mudar.

Quando chega o momento do fim, custa dizer a palavra, sabes?
Só porque estamos a ditar um terminar no tempo. E fica tanto tempo, não achas?, fica tão longe, uma distância que não nos cabe no peito... estamos a declarar que não haverá mais nada, estamos a querer acreditar que ao dizê-la tudo fique mais simples, mais fácil de esquecer. Mas não fica... porque nunca aceitamos o fim de algo que amamos.
Não dizemos a palavra porque nos dói, cá por dentro.

Aprendemos a viver sem a dizer, a que magoa, a que fere, a que nos faz mal.
Como naquela noite em que te toquei as mãos já tão frias e se deu um nó na minha garganta e as lágrimas a transbordarem-me dos olhos por não querer aceitar, o chão a fugir-me dos pés, o coração espalmado por um sofrimento que não se consegue explicar...por não querer perder-te, por não admitir que te fosses embora assim, sem me olhares nos olhos enquanto te dizia que te amo.
Ficou tudo suspenso... e por isso não te consegui dizer a palavra que ainda hoje arrasto comigo.
Naquela noite não tive coragem para a dizer. Sabia que não te veria mais, mas mesmo assim, não fui capaz. E hoje tambem não o vou fazer...

Porque se te disser Adeus... é como se deixasse de te sentir sempre por aqui perto, a espreitares-me pelas esquinas da vida, sorrindo-me como se me falasses e dissesses que sim, que sabes que te amo!...

domingo, 9 de janeiro de 2011

FLUTUAR....EM TI!



Desliga-me dos sentidos,
Deixa-me pairar…
Flutuar como se fosse água,
Mas sendo ar…
Voar como os pássaros,
Mas muito mais alto,
Subir como em ti,
Sem sobressalto;

Vestir-me de estrela,
Banhar-me de luar,
Andar pelo vento,
E continuar a flutuar…
Furar as nuvens,
Subir aos céus,
E deixar um rasto…
De manto com véus;
Para serem as guias…
Para saberes onde vou,
E se tão alto subirias,
Desliga-me o botão,
Aquele do Amor,
E vem só flutuar…
Sentir este sabor,
Dum amor sem a razão.

sábado, 9 de outubro de 2010

Sem um adeus!...


Deixaste-me, aqui,
Sem acenos e sem adeus,
Encoberta pelas ondas moventes
da saudade
E o rebuliço dos pássaros,
sobre mim,
A cantar a despedida.

Dança comigo o vento choroso,
Tu já não me respondes.
Apenas o murmúrio do vento,
sobre o telhado,
A dizer-me que partiste.

Deixaste-me assim...
Apenas a brisa a pousar,
sobre mim.
E ao buscar a tua voz,
Apenas o silêncio sem fim,
A dizer-me: é tarde!... Adeus!

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

PARA TI!...
Mesmo que seja ânsia...esperar por ti ....ansiarei!
Mesmo que seja viver na saudade...aguardarei!
porque é melhor sentir a tua falta...do que nada sentir...
porque é melhor esperar... do que viver desesperada...
porque é melhor amar um sonho...
do que não tê-lo sonhado!!!

domingo, 20 de junho de 2010

....POR UM BEIJO TEU!


Hoje negaria o mundo
Apenas por um beijo teu,
Negaria vozes,
Choros, cantos,
Tristezas e alegrias…
Hoje negaria mãos na cabeça,
Palavras de consolo…
Hoje… negaria o céu,
O mar… a terra…
As estrelas…
Hoje apenas não te negaria a ti!
Hoje poderia passar horas a ouvir-te
Sem eu própria dizer uma palavra…
Negaria conforto…
Hoje… apenas por um beijo teu...
Hoje viveria só do teu olhar doce…
Hoje negaria tudo o que me quisessem oferecer…
Hoje apenas... apenas por um beijo teu
Só o meu sorriso te ofereceria!
Deixa-me aconchegar a ti
E adormecer no teu corpo…
… hoje… poderia ser em qualquer lugar!
Hoje ficaria contigo
Para o resto da vida...
... negaria tudo
Menos um beijo teu!
(dedicado a alguém especial em minha vida)

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Despida de ti...

Envolvi-me na vida, embrulhei-me de sentimentos e acreditei que sabia voar...
Voando convenci-me que via o mundo, e, com os pés pousados que compreendia a "terra" ...e, assim, misturei-me no fogo e banhei-me em águas de rios cujas paisagens me levaram a sonhos longínquos...
Embrulhei-me na confusão total do ser que nem é, das mágoas... dos arranhões de carne dilacerada, provei o sal das minhas lágrimas e sequei-me no sol.
Vi as nuvens se desfazerem, e renasci para reaprender, a ser tudo o que não fui...
Nua, despida, olho-me e nada vejo...
porque nada tenho!

terça-feira, 18 de maio de 2010

Esta noite vou partir....


Esta noite vou partir
Sair...
Talvez fugir...
Não sei, mas vou Viver,
pode ser Algo...
o que quer que seja...Vou Reagir
Apagar as linhas tortas
Corrigir erros
Limpar os gatafunhos
Que tem sido esta vida
Esta noite vou partir...
Não sei se regressarei...
Não sei se existe caminho...
Vou criá-lo
A cada passo
Cabeça erguida
Olhos abertos... secos,
não há mais lágrimas a derramar...
O que feito está, feito fica.
O que virá...Começa esta noite.
Esta noite vou partir!...

segunda-feira, 10 de maio de 2010

NÃO SEI....


Não sei escrever tudo o que sinto,
mas sei sentir...
e com um amor imenso,
cada pedacinho da vida.

Não sei amar de morrer...
porque para mim amar, é viver.


Não sei sonhar todos os meus sonhos...
só sei sonhar o que o meu coração pede.


Não sei dar tudo de mim...
mas esforço-me para dar o que posso.


Não sei quase nada da vida...
mas sei que é bom existir.


Tudo o que eu sei é que a vida é linda...
e que, enquanto houver
um mínimo de ternura para oferecer...
a vida... vale a pena viver!

sábado, 13 de março de 2010

Às vezes, mais vale desistir...


Às vezes, mais vale desistir do que insistir...Esquecer do que querer...Arrumar do que cultivar, anular do que desejar...No ar ficará para sempre a dúvida se fiz bem...Às vezes, é preciso mudar o que parece não ter solução...Deitar abaixo para voltar a construir do zero!Esquecer a voz e cheiro, as mãos e a cor da pele...Apagar a memória sem medo de a perder para sempre...Esquecer tudo, cada momento,
cada minuto, cada passo e cada palavra...Cada promessa e cada desilusão...Às vezes, é preciso saber renunciar...Não aceitar, não cooperar, não ouvir nem contemporizar...Não pedir nem dar, não aceitar nem partilhar...Pedir silêncio paz e sossego,
sem dor,
sem tristeza e sem medo de partir...E partir para outro mundo, para outro lugar,
mesmo quando o que mais queremos é FICAR...
PERMANECER...CONSTRUIR...INVESTIR E SOBRETUDO AMAR...Quem fica, fica a ver, a pensar,
a meditar, a lembrar...Até se conformar,
e um dia então tentar esquecer!!mais vale desistir do que insistir...

Esquecer do que querer...
Arrumar do que cultivar, anular do que desejar...
No ar ficará para sempre a dúvida se fiz bem...
Às vezes, é preciso mudar o que parece não ter solução...
Deitar abaixo para voltar a construir do zero!
Esquecer a voz e cheiro, as mãos e a cor da pele...
Apagar a memória sem medo de a perder para sempre...
Esquecer tudo, cada momento,
cada minuto, cada passo e cada palavra...
Cada promessa e cada desilusão...
Às vezes, é preciso saber renunciar...
Não aceitar, não cooperar,
não ouvir nem contemporizar...
Não pedir nem dar, não aceitar nem partilhar...
Pedir silêncio paz e sossego, sem dor, sem tristeza e sem medo de partir...
E partir para outro mundo, para outro lugar,
mesmo quando o que mais queremos é
FICAR...PERMANECER...CONSTRUIR...
INVESTIR E SOBRETUDO AMAR...
Quem fica, fica a ver, a pensar,
a meditar, a lembrar...
Até se conformar,
e um dia então tentar esquecer!!!

domingo, 7 de fevereiro de 2010

QUERIA!...


Adormeci a pensar em ti. E acordei com um desejo de voar... contigo.

Queria esquecer o mundo e encontrar-me na tranquilidade de quem se dá só porque sim.

Só porque nem sempre é fácil decidir entre o querer e o dever. Só porque há desejos que pulsam em nós e não nos deixam descansar. Só porque nos sentimos perdidos e dizemos que não, quando só queríamos esquecer a vida e dizer que sim....deixando as horas e o mundo correrem devagar.

Queria ser livre contigo num qualquer lugar, sem pressa, sem medo.... Deixar-me tentar, só porque tenho vontade de ti.

Queria que fôssemos capazes de viver... e não apenas sonhar.

Chegar-me mais perto...perder a vergonha e dizer-te sem pudor que te desejo... Agora!

domingo, 27 de dezembro de 2009

Estou sempre em ti...


Ainda que pressuponhas
que a distância e a ausência
que muitas vezes nos aparta
levam de mim o aroma de tudo
o que já partilhámos...


Ainda que penses que as minhas mãos
em certos momentos
ensaiam acenos e despedidas…
continuo aqui, serenamente, à tua espera...


Ainda que, não estando tu sempre presente,
consigo sentir o doce sussurro da tua voz
a cada madrugada,
lembrando-me que sempre fui tua,
mesmo antes de te amar....
E na soma de todas as minhas certezas,
sei que o teu caminho
é aquele que te traz sempre para mim!

(Dedicado ...a alguém muito especial em minha vida)

domingo, 20 de dezembro de 2009

se eu pudesse.....


Se eu pudesse
Roubava o tempo do mundo
Fazia cada momento durar mais do que um segundo
E sussurrava
Enquanto o tempo é só nosso
Se pudesse fazia por ti tudo o que não posso
Em cada olhar que fica,
Cada beijo que voa
A cada palavra amiga
Que sozinha nos conta
Esta história tão leve,
Por mais breve que seja
Faz eterno um só momento...
por mais esquecido que esteja!